27 junho 2017

Alto às políticas contra Cuba


Líderes operários de 13 países de todos os continentes, reunidos no Encontro Internacional Sindical de Bruxelas, Bélgica, reiteraram a solidariedade com o heroico povo cubano e exigiram o fim do criminoso bloqueio a Cuba.

21 junho 2017

Declaração final da XXIII Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba



Convocados pela Associação Cultural José Martí de Minas Gerais (ACJM_MG) e pelo Movimento Brasileiro de Solidariedade a Cuba, amigas e amigos da ilha sempre rebelde, representantes de dezenas de estados da Federação, organizações políticas, sociais, juvenis, religiosas, sindicais e estudantis estivemos presentes à "XXIII Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba", ocorrida de 15 a 17 de junho de 2017, na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais.

16 junho 2017

Declaração do Governo Revolucionário de 16 de junho


Em 16 de Junho de 2017, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em um discurso carregado de retórica hostil, que fez lembrar os dias de confronto aberto com o nosso país, proferido em um teatro em Miami, anunciou a política de seu governo em relação a Cuba, que reverte os progressos realizados nos últimos dois anos, após o 17 de dezembro de 2014, quando os presidentes Raúl Castro Ruz e Barack Obama deram a conhecer a decisão de restabelecer as relações diplomáticas e iniciar um processo para a normalização das relações bilaterais.

09 junho 2017

Uma sabotagem silenciosa que Cuba não esquece


Foi um pesadelo. As crianças doentes começaram a chegar umas após as outras ao pronto-socorro dos hospitais e, em seguida, os adultos, com os mesmos sintomas que se pareciam com um resfriado comum e que depois pioravam, quando a doença era tratada como tal. Em poucos dias, no final do mês de maio de 1981, todos os hospitais e policlínicas da Ilha estavam combatendo uma das epidemias mais mortais até então vivida nos anos da Revolução, sem que se pudesse saber de onde veio aquela doença ou como tratar dela.

02 junho 2017

"Continuaremos construindo o socialismo"

 

A segunda sessão extraordinária da Assembleia Nacional do Poder Popular (Parlamento) em sua 8ª legislatura, encerrou com o apoio dos deputados à Conceituação do Modelo Econômico e Social Cubano de Desenvolvimento Socialista e as Diretrizes da Política Econômica e Social do Partido e da Revolução para o período 2016-2021.

O primeiro secretário do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba e presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, general-de-exército Raúl Castro Ruz. Ao se referir ao processo de debate ao que foram submetidos os documentos, reiterou que estes "são os documentos mais estudados, discutidos e rediscutidos na história da Revolução".

Da mesma forma, Raúl reiterou que estes fundamentos programáticos, aprovados recentemente pelo Comitê Central do Partido, "reafirmam o caráter socialista da Revolução Cubana e o papel do Partido Comunista como força dirigente superior da sociedade e do Estado".

O Parlamento aprovou, ainda, uma declaração de apoio ao povo e ao governo da Venezuela e de recusa à ingerência e à manipulação informativa à que está submetida essa nação.

Veja o discurso de Raúl Castro...


14 maio 2017

Che e sua mãe: A Pedra


Este é um impactante relato escrito por Che no Congo. Ocupa em sua versão original, dez folhas de seu caderno de anotações, e está escrito diretamente, com poucas correções. O tema do relato – o anúncio da possível morte de Célia, sua mae – remonta de algum momento após 22 de maio de 1965. Osmany Cienfuegos levou a Che esse dia “a notícia mais triste da guerra: em conversa telefônica em Buenos Aires informavam que minha mãe estava muito doente, com um tom que fazia presumir que era um anúncio preparatório. (...) Tive que passar um mês com essa triste incerteza, esperando resultados que adivinhava, mas com a esperança de que tivesse um erro na notícia, até que chegou a confirmação da morte de minha mãe”. Em meio dessa “triste incerteza” Che constrói esse relato de forte tom introspectivo, no qual convivem reflexões filosóficas, ironia, dor e ternura. É provavelmente o relato mais cru, intenso e comovente que escreveu.

01 maio 2017

1º de Maio de compromisso


Com a presença do presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros e primeiro secretário do Comitê Central do Partido, general-de-exército Raúl Castro Ruz, aconteceu nesta segunda-feira o desfile na Praça da Revolução José Martí, comemorando o Dia Internacional dos Trabalhadores.

Cinquenta mil jovens chefiaram a marcha do povo trabalhador na capital que neste 1º de Maio está dedicado a eles, presente e futuro da Pátria.

As conquistas sociais alcançadas pela Revolução, a continuidade ao futuro, os desafios de criar uma sociedade mais justa, próspera e sustentável, motivam aos cubanos que por milhares desfilam pelas principais praças e parques do país.

Homenagem a Fidel, artífice da Cuba de hoje; e ao Che, no 50º aniversário de ser tombado em combate; trincheira para defender a soberania e reclamar o fim do bloqueio econômico, comercial e financeiro contra nosso país e a devolução do território que ocupa a ilegal base naval estadunidense; tudo isso é este desfile, que convoca a diferentes gerações de cubanos.

Do Granma